Kate Weiss - Design e Poesia

Capa

Meu Diário

Textos

Áudios

E-books

Fotos

Perfil

Livros à Venda

Prêmios

Livro de Visitas

Links


Textos


 
Perdeu-se de mim
Kate Weiss
 
Acho que perdeu-se de mim a poesia.
Ou  será que  fui eu quem a perdeu.
Sinto que em mim morreu a melodia
e meu coração aos poucos arrefeceu.
 
Quero escrever, mas a ideia logo esfria,
a mão "emudece", e noto que que não deu.
Acho que perdeu-se de mim a poesia.
Ou  será que fui eu quem a perdeu?
 
Tento levar a vida adiante, sem hipocrisia
mas dentro de mim algo muito bom morreu.
As palavras que tento escrever todo dia,
fenecem como as flores do tumulo teu.
Acho que perdeu-se de mim a poesia.



A POESIA DE TI NÃO SE AFASTOU //
Bosco Esmeraldo //

Acho que a poesia de ti não se afastou /
Pois ela realça em tudo o que escreves. /
Tampouco a melodia se finou /
Pois há música naquilo que descreves. /

Até do nada o lírico sobrescreves /
E nova ideia (zás-trás!) em ti brotou. /
Acho que a poesia de ti não se afastou, /
Pois ela realça em tudo o que escreves. //

E generosa, explode, te encantou, /
Dedos que falam aquilo que escreves. /
A inspiração em te se perpetuou, /
Em cada frase, cada verso que prescreves. /
Acho que a poesia de ti não se afastou. //


Fizeste umbrilhante e magistral rondel. Impecável! Não resisti e fiz esta
réplica. Parabéns! Deus te abençoe!

 Od Laremse M Peterson /  Bosco Esmeraldo
13/03/12 15:24 
Kate Weiss
Enviado por Kate Weiss em 24/02/2012
Alterado em 22/08/2017

Música: Milonga pampeana - Glênio Fagundes

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Site do Escritor criado por Recanto das Letras